Reavivamento como estilo de vida

Por mais que se enfatize a necessidade de reavivamento espiritual, nunca é demais. Assim, como o pastor Ted Wilson diz, este é  o tempo para os líderes chamarem a igreja a orar pelo reavivamento. Mas, o que o reavivamento significa e qual é seu objetivo?

 

  1. Reavivamento fundamentado  em nossa conversão. O reavivamento requer que em nós haja primeiro a conversão que uma vez nos avivou. Mas agora, por estarmos dormindo e quase  à beira da morte espiritual, necessitamos de reavivamento para nossa vida. Antes de nossa conversão, estávamos mortos em nossos pecados (Ef 2:1), mas Deus através de Cristo perdoou nossos pecados e nos tornou pessoas vivas (2:5; Cl 2:13). Como resultado, fomos conduzidos a uma vida nova em união com Cristo (Rm 6:4; Jo 15:1-10). Essa nova vida nos alcançou por meio do Espírito e se relaciona diretamente com as palavras de Jesus, que são Espírito e vida (Jo 6:63; 2Co 3:6). A união dos crentes com Cristo é tão profunda que o amor de Deus é derramado em seus corações. Cristo vive neles (Gl 2:20), eles vivem no serviço em favor dos outros (1Jo 3:14; 2Co 13:4) e a eles é assegurado que suas orações serão atendidas (Jo 15:7, 16, 23; 1Jo 5:14).
  2. Reavivamento como retorno. Em sua jornada, os crentes podem ser desencorajados e sua união com Cristo se enfraquecer. Isso é chamado de perda do primeiro amor (Ap 2:4). A mudança é necessária. Devemos conhecer nossas necessidades e retornar ao lar como o filho pródigo (Lc 15:17-19). Quando o pai viu o filho, exclamou: “Este meu filho estava morto e reviveu” (15:24). Somente o amor de Deus revelado em Jesus, por meio do Espírito, pode nos mover para reestabelecer união com o Senhor. Alcançamos nosso verdadeiro destino quando, movidos por Ele, abrimos a porta (Ap 3:14-22). Então, somos reavivados!
  3. Reavivamento como estilo de vida.  Reavivamento é a percepção de que perdemos nossa união vital com Cristo, que a influência do Espírito em nossa vida tem diminuído e que necessitamos fortalecer nossa vida espiritual através do estudo da Palavra e de uma vida de oração e serviço em favor dos outros. Isso é como a vida cristã sempre deveria ser. Se não é assim, então necessitamos de reavivamento. À medida que nos aproximarmos do Senhor, o Espírito nos capacitará a compreender as Escrituras e a caminhar em santidade, mobilizando-nos a aplicar qualidade de tempo em comunhão com o Senhor e a pedir em oração pelo derramamento do Espírito. A manifestação do poder do Espírito em nossa vida está diretamente relacionada com nosso interesse no crescimento espiritual e em nosso engajamento na missão da igreja. O Espírito é dinâmico e, portanto, Seu poder não é concedido aos que são indiferentes à missão de Deus. À medida que nos aproximarmos do fim do conflito, o Espírito virá com poder sem precedentes (a chuva serôdia) em preparação para a divina colheita. Devemos orar por esse evento e pedir que o Espírito nos use hoje, à medida que compartilhamos a mensagem.
  4. Reavivamento não é emocionalismo nem milagres, mas uma vida totalmente comprometida com o Senhor e nutrida por Ele por meio do estudo das Escrituras, da oração, receptividade ao poder e à presença do Espírito, e do ato de testemunhar. Se em nosso testemunho um milagre for necessário, o Espírito o realizará, e os milagres acontecerão em conexão com a chuva serôdia. Vamos todos juntos orar pelo reavivamento da primitiva bondade entre nós!

Ángel Manuel Rodriguez é teólogo

Artigo originalmente publicado na Revista do Ancião Out-Dez 2011

Comments

comments

Powered by Facebook Comments


Copyright © 2011 - Todos os Direitos Reservados | Igreja Adventista do Sétimo Dia | iDSA